acompanhar

sábado, 11 de dezembro de 2010

Poema de meu livro Eu, meu corpo & Minha Poesia



Jaboatão, triste dia, ano importuno.


Cada dia mais perto, mais próximo, já me falta vontade para escrever, já me falta vontade de viver, como queria chorar de alegria, chorar de tristeza não mais me alivia.

Os últimos passos de um homem...

Para mim a inspiração sempre veio em forma de depressão, agora só há depressão, acho que minha alma vai se perder em meu corpo (labirinto). Não quero mais lutar, vem morte! Vem me buscar! Faz-me o bem que eu não me fiz.

Um comentário:

Verônica disse...

Cada canto de inspiração é canto
onde está a palavra...em alguns momentos, inspiração alheia...em outros...inspiração-alma.
Somos um corpo abstrato que busca formas efêmeras...estados em que somos quase ser.

Verônica Sá

* Obrigada por gostar da minha poesia...ela é a essência dos meus instantes.