acompanhar

sábado, 27 de abril de 2013

Vamos ler poesia?




Sobras

Gosto dos poemas que sobram no papel, simetria é para arquitetos conservadores, não para mim; 

Gosto de escrever poemas para se ensopar a alma, não suporto métricas ou rimas – isso me castra o cérebro -.

Adoro as frases soltas porque elas percorrem todo o corpo, passando por terminações nervosas e excitando todo o ser.

Não pertenço a nenhuma escola poética, prefiro a poesia das ruas, o ritmo dos passos – sempre apresados -, os olhos que não me notam, dessa forma posso criar meu poetar ensandecido, – poetar desvairado -, sempre pronto para percorrer desnudo por estradas dos saberes e não saberes.

Podem até não me entendere, mas me sinto dentro de vocês com os versos que crio para deleite de quem os devora, para a ira dos que os desdenham, para ó acalmar de todo meu ser.

Marcos Martins.

2 comentários:

AJ Cardiais disse...

Marcos, adorei esse texto. Posso posta-lo no meu blog? Um abraço.

Marcos Escritor disse...

Pode sim AJ Cardiais. Abraços!