acompanhar

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Sem Alma



Sem Alma

(Marcos Henrique)


Quatro cantos;
Quatro paredes - sem portas, mas estamos dentro -
Sem chaves, quase sem fôlego;
Gritando, quase sem força;
Esperando, sem calma;
Com sono, sem alma;
Com fome, sem tripas;
Com os nervos a mil, gritando a mil;
Sem ouvidos para ouvir – o desabafo da alma –
Conversa fiada - o grito no nada não se propaga -

Roupas rasgadas;
Menina adormecida;
Garoto entorpecido;
Maníaco fugitivo.

Suspiros, suspiros.
O tido, o tiro!

Sem ouvidos para ouvir;
Sem um corpo cara cair;
Sem alma para possuir;
Sem casa, sala, sonhos, som, vida, lama, tristeza, alegria e dor.
Sem alma.
Sem cara;
Sem alma.
Sem pálpebras;
Sem alma.
Sem alma!

2 comentários:

●●ℓιση gαя¢ιєη●•ツ disse...

Voce mesmo que criou essa inspiração?
profundo seu pensamento poético :)

Marcos Escritor disse...

Foi sim. Todo esse caos é meu.

Abraços Virtuais!