acompanhar

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Porque devo ser lembrado?



Porque devo ser lembrado?



Não sou um homem para escreverem biografias. 
Sou apenas um homem, um escritor que não se entende bem com a pontuação; que não dialoga “bom” com a gramática e sempre é desmoralizado pelas concordâncias – verbal e nominal.

Os adjetivos me ignoram e o substantivo – ele não tem tempo para mim. À crase nem me dá bola – nem ao menos sorri ou olha para mim.

Meus romances mofam em cantos esquecidos que guardei para nunca mais tocar, para nunca mais lê-los e fomentar falsas esperanças editoriais.

Não sou um homem para escreverem biografias; 
Não fui criado para sorrir em colunas sociais;
Sou apenas um homem que passa e ninguém vê; 
Sou apenas um homem que enxergar a vida por entre linhas, a poesia sem serventia e se emociona com os romances que não fazem chorar.

Marcos Martins.

2 comentários:

Dulce Morais disse...

Adorei, Marcos! Que bela clarividência do poeta.
São palavras profundas.

Marcos Escritor disse...

Obrigado pelo comentário Dulce. Abraços literários e virtuais para você.